Resenha: A culpa é das Estrelas

16:06:00









Título: A culpa é das Estrelas
Autor: John Green
Editora: Intrínseca
Páginas: 283



Sinopse: Hazel  é uma paciente terminal. Ainda que, por um milagre da medicina, seu tumor tenha encolhido bastante - o que lhe dá a promessa de mais alguns anos - , o último capítulo de sua história foi escrita no momento do diagnóstico. Mas em todo bom enredo há uma reviravolta, e a de Hazel se chama Augustus Waters. Juntos, os dois vão preencher o pequeno infinito das páginas em branco de suas vidas. Inspirador, corajoso, irreverente e brutal, A culpa é das Estrelas fala de alegria e tragédia que é viver e amar.



O que  eu penso sobre:  Antes de ler A culpa é das Estrelas vi várias críticas negativas a respeito e como não conhecia fui deixando de lado. Até que uma amiga, Dandarah,  me indicou, dizendo que eu amaria a história. E eu amei ( ou melhor, AMO!). Obrigada, Dands!
OKAY, OKAY, vamos começar com a piração literária... O que eu penso sobre Acéde( título resumido, geralmente usado por fãs)?! Muita coisa boa!

Mas como Midian? É um livro onde os protagonistas têm câncer! Sim, é. Mas não se trata da doença e seus efeitos colaterais. É sobre viver  e amar enquanto pode, conquistar pessoas especiais e viver seu próprio infinito ( uma leve citação. Hehehe!).
O livro é narrado na primeira pessoa e por isso vemos todos os acontecimentos na visão de Hazel Grace, então, vamos começar por ela.

"Faltando pouco para eu completar meu décimo sétimo aniversário de vida minha mãe resolveu que eu estava deprimida, provavelmente porque quase nunca saía de, passava horas na cama, lia o mesmo livro várias vezes, raramente comia e dedicava grande parte do meu abundante tempo livre pensando na morte".

A Hazel é, na minha opinião, uma personagem incrível. Eu me apaixonei por sua "escrita" logo nas primeiras páginas. No início você pensa que ela é do tipo reclamona, que  lamenta pela vida que tem, coisa e tal. Mas logo depois percebe que não, ela sabe que tem suas limitações, mas que não vai deixar de vivenciar experiências novas por causa dessas limitações.
Acho que ela é engraçada e tem um quê de sarcasmo em suas palavras. Sem contar que é vegetariana ( E VEGETARIANISMO É VIDA.), e filósofa, e inteligente... Sou fã!!!

Augustus Waters! Gus, Gus, meu lindo amor!  Esse cara é tipo... Épico! É o tipo de personagem que você pensa " Esse cara só pode ser um personagem mesmo!" . Por que a inteligência e sagacidade dele são incríveis. Quem não ama o Gus e suas metáforas? Quem não o conhece, claro! Pois vamos mudar isso pessoal?!

"Adoro quando você usa termos médicos comigo".

"Talvez Okay venha  a ser o nosso sempre".

Os dois formam um casal mais que amor e você se pega suspirando em cada linha de todo o livro!

E para completar meu trio ( que não é triângulo amoroso, graças!) temos Isaac. Gente, ele é um carinha fofo que após perder a visão de vez a namorada o abandona e ele fica muito "revoltado". Eles tinham uma coisa de dizer Sempre o tempo todo e vem daí a citação de Gus.

E tenho curiosidades sobre o livro!!!! Na verdade é só uma, mas que é meio essencial.
Eu sempre pensei que o título do livro fosse uma referência a cena do restaurante em que Hazel e Gus tomam champanhe e o garçom lhes conta como o " criador" da bebida reagiu após prová-la pela primeira vez.

" Venham depressa!Estou bebendo estrelas".

Mas depois de algumas pesquisas descobri que o título faz referência a uma citação da obra Júlio César, de Shakespeare.

"A culpa, meu caro Bruto, não está nas estrelas, mas de nós mesmos que consentimos em ser inferiores".

É isso aí, vivendo e aprendendo!

E pra quem não gosta de ler e mesmo assim gostaria de conhecer melhor essa história, pode assistir o filme. Os atores que fazem Hazel e Gus são Shailene Woodley ( ela também faz Tris, de Divergente) e Ansel Elgort ( ele faz o irmão de Tris, Caleb. o_O  kkkkk)... 

Chorei litros tanto no livro quanto no filme!



E é isso, beijos!




You Might Also Like

0 comentários