Resenha: Os Bridgertons - Livro III - Um Perfeito Cavalheiro

14:44:00







Título: Um Perfeito Cavalheiro 
Autora: Julia Quinn 
Editora: Arqueiro 
Páginas:295







Sinopse: Sophie sempre quis ir a um evento da sociedade londrina. Mas esse parece um sonho impossível. Apesar de ser filha de um conde, ela é fruto de uma relação ilegítima e foi relegada ao papel de criada pela madrasta assim que o pai morreu.
Uma noite, porém, ela consegue entrar às escondidas no aguardado baile de máscaras de Lady Bridgerton. Lá, conhece Benedict, filho da anfitriã, e se sente parte da realeza. No mesmo instante, uma faísca se acende entre eles.
Infelizmente, o encantamento tem hora para acabar. À meia noite, Sophie tem que sair correndo da festa e não revela sua identidade a Benedict. No dia seguinte, enquanto ele procura sua dama misteriosa por toda a cidade, Sophie é expulsa de casa pela madrasta e precisa deixar Londres.
O destino faz com que os dois só se reencontrem três anos depois. Benedict a salva das garras de um bêbado violento, mas, para decepção de Sophie, não a reconhece  nos trajes de criada. No entanto, logo se apaixona por ela de novo. Como é inacreditável que um homem em sua posição se case com uma serviçal, ele propõe que seja sua amante, o que para Sophie é inconcebível.
Agora os dois precisarão lutar contra o que sentem um pelo outro ou reconsiderar as próprias crenças para terem a chance de viver um amor de contos de fadas. Nesta deliciosa releitura de Cinderela, Julia Quinn comprova mais uma vez seu talento como escritora romântica.


O que eu penso sobre: Ainda estou suspirando por esse livro. Muito amor envolvido!!!
Um Perfeito Cavalheiro é realmente perfeito.
A história narra o amor a primeira vista de Sophie Beckett e Benedict Bridgerton. É tão, tão, tão lindo. E triste, é claro!
Sophie é a filha bastarda de um conde e, na época em que se passa a história, isso não é algo bom ou digno. O conde se casou com uma mulher que já tinha duas filhas, ainda na infância de Sophie, e a oportunidade que a menina tinha de ter irmãs agradáveis e uma madrasta compreensiva, foi frustrada por uma pessoa terrível, a ponto de ameaçar uma criança e mandar as filhas a ignorarem e agir cruelmente.
Enquanto o pai estava vivo, Sophie teve uma (ainda que limitada) liberdade e... Uma vida. Mas logo que o conde morreu, a pobre moça foi obrigada a ser a "escrava" de Araminta, condessa de Penwood, sua madrasta. 


" A senhora Gibbons se virou para ela e explicou, radiante:
-Você, Srta. Sophia Maria Beckett, vai ao baile de máscara!"


Em um baile de máscaras da família Bridgerton, Sophie tem uma noite de Cinderela, e encontra o príncipe: Benedict. Mas como em Cinderela, a "princesa" teve que partir à meia noite, deixando apenas uma luva para trás.
Porém, o príncipe em questão não saiu colocando as luvas em todas as garotas, e... acabaram se desencontrando.
Alguns anos depois se reencontram e...Benedict não a reconhece. Ela sofre, é claro, mas não diz nada.
Tantas coisas acontecem para enfim, o casal ficar junto!!! Prisão, ameaças e segredos fazem parte da complicada relação Sophie e Benedict...



" -Seja minha. -pediu Benedict com a voz densa e urgente. -Seja minha agora. Para sempre. Eu lhe darei tudo o que desejar. Tudo o que quero em troca é você."

A autora, assim como nos primeiros usou humor para nos transmitir a história, e foi além, usou da criatividade para fazer uma releitura de uma história tão antiga e conhecida... Eu me senti presa a leitura, querendo saber como terminaria. E valeu a pena cada capítulo.


E é isso, beijos!

You Might Also Like

4 comentários

  1. Esse livro é a coisa mais linda! Eu adoro a série, o meu favorito é o #2, mas esse não fica muito atrás, não. Eu amo a escrita da Julia, esse humor que ela coloca nas entrelinhas é algo essencial, faz a leitura evoluir bem mais. Leia logo o #4, Colin é amor!
    beijos,
    whoosthatgirrl.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Renata, eu também amo a Julia e o modo como ela escreve, foi tipo amor a primeira vista. E estou louca para ler sobre Colin, é minha próxima leitura!
      Beijos :)

      Excluir
  2. Olá,
    Eu li um livro de época, achei bacana e tal, mas na hora soube que não era o gênero para mim, sabe? Não combina, eu não me envolvo muito nesse tipo de história e nem chego a gostar.
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Inês, eu entendo você. Cada pessoa curte um ou mais gêneros e não necessariamente curte outros. Eu por exemplo não curto terror. Mas talvez você devesse dar chance a outros livros de época, quem sabe não foi apenas o modo como o autor(a) escreveu que você não gostou?! Mas, é claro, é bem mais prazeroso ler algo que se identifique, que envolva você do início ao fim!
      Beijos!

      Excluir