Resenha: O Lado Bom da Vida

21:20:00





Título: O Lado Bom da Vida 
Autor: Matthew Quick 
Editora: Intrínseca 
Páginas: 254





Sinopse: Pat Peoples, um ex-professor de na casa dos 30 anos, acaba de sair de uma instituição psiquiátrica. Convencido de que passou apenas alguns meses naquele "lugar ruim", Pat não lembra do que o fez ir para lá. O que sabe é que  Nikki, sua esposa,  quis que ficassem um "tempo separados".
Tentando recompor o quebra cabeça de sua memória, agora repleta de lapsos, ele ainda precisa enfrentar uma realidade que não parece muito promissora. Com o pai se recusando a falar com ele, a esposa negando-se a aceitar revê-lo e os amigos evitando comentar o que aconteceu antes de sua internação, Pat agora viciado em exercícios físicos, está determinado a reorganizar as coisas e reconquistar sua mulher, por que acredita em finais felizes e no lado bom da vida.
Uma história comovente e encantadora, de um homem que não desiste da felicidade, do amor e de ter esperança.


O que eu penso sobre: Como resenhar sobre esse livro sem chorar ou sorrir a cada dez segundos?
Eu assisti O Lado Bom da Vida há alguns anos e amei, não apenas por ter a diva/queen  Jennifer Lawrence  no elenco, mas por tratar de um assunto tão pouco discutido e muitas vezes tratado de forma leviana e preconceituosa:  Doença mental.

O livro é narrado por Pat Peoples, um homem que acabou de sair de uma clínica psiquiátrica, e que tem apenas dois projetos de vida; a) ficar em boa forma física para  b) voltar com a ex-mulher e assim acabar com o "tempo separados".

De acordo com o que ele vai narrando, vamos conhecendo os demais personagens...
A mãe, que sofre tanto pela situação do filho, quanto por ter um marido ausente e mal humorado;
O pai, que se mostra uma pessoa perturbada e um tanto desequilibrada emocionalmente, na minha opinião. Quer dizer, o modo como ele trata o filho e a mulher me deixou indignada, e mais ainda, o modo como ele age em função de uma coisa tão banal, quanto um jogo de futebol americano. Quer dizer, é claro que para muitas pessoas, um time, um cantor, ou seja lá o que for, pode ser muito importante... Mas daí a viver em função disso e deixar que os altos e baixos interfiram no relacionamento familiar?!
Os amigos e torcedores dos Eagles;
O terapeuta e o irmão mais novo de Pat, Jake, que ajudam, cada um à seu modo, no seu retorno à sociedade.
E Tiffany... Eu tinha uma ideia formada sobre ela ( por ter assistido o filme...) ao começar a ler o livro, e essa ideia foi totalmente reconstruída, ou seja, fiquei com duas "Tiffanys" na memória. Mas nenhuma delas me decepcionou. 



"Estou praticando ser gentil em vez de ter razão."


Essa frase é muito repetida durante a leitura, e você só pode perceber o quanto Pat quer mesmo mudar seus antigos hábitos, melhorar como pessoa  e como esposo... Eu achei que ele estava mesmo viciado em exercícios físicos, mas o fato de ser doente mental esclarecia isso. Foi a forma que ele encontrou de se motivar a "ser melhor" para Nikki.  
É tão triste, ver como ele se empenha em melhorar, em como sofre com os deslizes, com os erros, em como ele QUER mesmo ser diferente... E você saber que no fim, é apenas uma ilusão, que ele precisa encarar os fatos, que ele perdera uma das memórias mais importantes que poderia esclarecer tudo...




"Você precisa fazer tudo o que pode e, se se manter positivo, você terá uma chance."


E apesar de ser uma leitura um tanto parada, não ter todas aquelas coisas emocionantes e todos aqueles romances proibidos e fantásticos que tanto amamos (eu amo... ). O lado bom da vida,  é uma boa leitura, não diria que é para todos os tipos de gostos, por que evidentemente não é, mas ele tem o seu lado mágico, e bom. Sem contar nessa capa, que eu amoooooo!

SIM, SOU FÃ DE JENNIFER LAWRENCE...


"Dói olhar para as nuvens, mas também ajuda, como  a maioria das coisas que causam dor."


E é isso, beijos...



You Might Also Like

9 comentários

  1. Que Midi! Do Matthew, só li perdão Leonard Peacock e gostei, não foi um livro tão "Oh meu Deus" quanto o Lado bom da Vida parece, pelo que você falou. Nunca tive muito interesse nesse livro, mas pretendo lê-lo agora, ainda esse ano.
    Beijos,

    http://lucyintheskywithbooks.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh, é o meu primeiro do Matthew... Eu gostei muito... Espero que você também goste :D
      Beijos!

      ps: Não conheço perdão Leonard Peacock, vou procurar...

      Excluir
  2. Eu amei o filme, já o livro me decepcionou não foi tudo aquilo que esperava.
    http://rabiscosdeana.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh, que pena, Ana Paula...
      O livro se torna um pouco cansativo por ser mais detalhado, eu também amei o filme, não foi à toa que concorreu a tantos "Oscars".... O fato é que eu também amei o livro... Mas cada um tem seu gosto, não é mesmo? :)

      Beijos!

      Excluir
  3. Oi Midian!
    Esse livro está na minha meta esse ano, estou curiosa para lê-lo. Consegui resistir e não assistir ao filme antes de ler. Já li resenha que diz que o livro tem uma narrativa parada como você tamb´me mencionou, mas estou muito curiosa para conhecer Pat.

    Beijinhos,
    http://lovesbooksandcupcakes.blogspot.com.br//

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Tahis!
      Eu achei meio parada mesmo, mas no fim das contas, gostei de lê-lo. É um bom livro, com uma bela história, escrita de um jeito muito instigante.

      Beijos!

      Excluir
  4. Eu também adorei esse livro. O Pat é um amorzinho, gostava muito da sua inocência e fé nas coisas. É um drama, mas é divertido também ♥

    (Carol)

    Conhece nosso blog? Estamos sempre retribuindo visitas e comentários de amigos blogueiros: ourbravenewblog.weebly.com :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OI! Ah, que bom! ♥

      Ah, ainda não conhecia não, mas vou lá agorinha, hehe.

      beijos!

      Excluir