Resenha: Trilogia Grisha - Livro I - Sombra e Ossos

20:49:00






Título: Sombra e Ossos 
Autora: Leigh  Bardugo 
Editora: Gutenberg 
Páginas: 288




Sinopse: Alina Starkov nunca esperou muito da vida. Órfã de guerra, ela tem uma única certeza:  o apoio de seu melhor amigo, Maly, e sua inconveniente paixão por ele. Cartógrafa de seu regimento militar, em uma das expedições  que precisa fazer à Dobra das Sombras - uma faixa anômala de escuridão repleta dos temíveis predadores volcras -, Alina vê Maly ser atacado pelos monstros e ficar brutalmente ferido. Seu instinto à leva a protegê-lo, quando inesperadamente ela vê revelado um poder latente que nunca suspeitou ter.
A partir disso, é arrancada de seu  mundo conhecido e levada para ser treinada como um dos Grishas, a elite mágica liderada pelo misterioso Darkling. Com o extraordinário poder  de Alina em seu arsenal, ele acredita que poderá finalmente destruir a Dobra das Sombras.
Agora, ela terá que dominar e aprimorar seu dom especial e de algum modo adaptar-se à sua nova vida  sem Maly. Mas nesse extravagante mundo nada é o que parece. As sombrias ameaças ao reino crescem cada vez mais,  assim como  a atração de Alina pelo Darkling, e ela acabará descobrindo um segredo que poderá dividir seu coração - e seu mundo - em dois. E isso pode determinar sua ruína ou seu triunfo.



O que eu penso sobre: Eu estava à procura de um livro como esse desde que li A Rainha Vermelha. E me apaixonei logo de cara...
Não sei se já disse, mas adoro esses livros ambientados em lugares fantásticos e "impossíveis", e Ravka, país onde se passa a história, é um desses ambientes sensacionais e intrigantes.

A sociedade de Ravka é dividida em alguns tipos de pessoas, como os humanos e os "não- humanos", ou Grishas.
Os Grishas são uma espécie de supernatural (ou sobrenatural) que não gostam de serem chamados de bruxos. E são associados a tal termo pelo fato de possuírem poderes especiais e sobrenaturais.

A narrativa se inicia na terceira pessoa, nos introduzindo à esse universo sombrio, onde como na maioria das vezes, os poderosos reinam sobre os "indefesos". Logo depois, um dos personagens descritos na introdução, Alina, começa a narrar o livro.

Alina, a protagonista, nos mostra, em sua perspectiva, como é o mundo em que vive, como as coisas funcionam.
É uma garota comum, em minha opinião, pelo menos à princípio. É apaixonada pelo melhor amigo( de infância), não é considerada bonita pelas pessoas ao seu redor, e é apenas uma aprendiz de cartógrafa. Até deixar de ser apenas isso.

Em uma viagem à Dobra, onde ela imaginava ser apenas uma viagem de ida (por causa dos perigos que enfrentaria)... Acaba descobrindo um poder aparentemente único, e se torna alvo de louvores e perseguições ao mesmo tempo.

Nesse universo, existem vários tipos de Grishas: Os artesãos (  são capazes de "modificar" a aparência das pessoas, sem tirar sua identidade ), os Sangradores ( não sei ao certo o que são, mas eles são capazes  de matar uma pessoa parando seu coração, por exemplo, diminuindo seus batimentos cardíacos...), Os Etherealki ( os Conjuradores estão incluídos nesse"tipo" de Grisha. Esses são mais ligados à natureza em si. Os Hidros, Os Aeros...) e o Darkling!

O Darkling é  uma figura poderosa, abaixo apenas do rei, e segundo à história, um deles criou a  Dobra das Sombras ( sendo esse um lugar muio temido, onde vivem monstros, que outrora eram homens e que aterrorizam à todos e inviabilizam a passagem para o outro lado do país. Como o próprio nome já diz, a Dobra das Sombras  é extremamente escura e seus "habitantes" são adeptos dessa escuridão, ou seja,  a luminosidade os afeta) e o atual  é seu descendente....Segundo ele. Ele é charmoso, temível,  bonito, misterioso e...antigo...
Logo no começo, Alina diz algo sobre  ouvir histórias dele desde criança, mas depois não entende como ele pode aparentar ser tão novo e ter relatos tão antigos a seu respeito.
E eu fiquei pensando que se fosse ela, a primeira oportunidade que tivesse, perguntaria sua idade. Não sei por que, mas isso me deixou curiosa... E na primeira oportunidade de Alina...


"Quantos anos você tem?"


Eu gostei muito do Darkling, acho que é o meu personagem favorito... Eu tenho um fraco por esses caras misteriosos e meio sombrios ( só personagens de livros e séries, que fique bem claro! Hahahaha ) e eu o achei muito cativante. Depois fiquei meio "Oh meu Deus, como assim????!", Mas continuei gostando do cara!

Voltando à Alina, ela descobre seu dom especial, é uma Conjuradora do Sol, e começam a vê-la como a "luz no fim do túnel para os ravkanos".
A princípio ela não domina o poder, como era de se esperar, e vários acontecimentos definem o que ela se torna no final do livro.
Eu gostei da personagem. Achei que ela evoluiu de acordo com o passar do tempo. Mas a achei muito influenciável, e  às vezes indecisa.

E o pior é que eu também fiquei... Entre os dois rapazinhos, pelo menos. Quer dizer,cada um com seu jeito me ganharam de uma forma diferente, e no final, Maly(é o melhor amigo de Alina e alvo de sua paixão "platônica") estava de um lado, o Darkling do outro, e eu no meio, louca e sem saber para qual lado ir...


"Eu espero por você há muito tempo, Alina." disse ele. " Você e eu mudaremos o mundo."


"Eu senti sua falta a cada hora. E você sabe qual foi a pior parte? Isso me pegou totalmente desprevenido. Eu me pegava caminhando por aí para encontrar você, sem rezão, apenas por hábito, porque tinha visto algo que eu queria lhe contar ou porque queria ouvir sua voz. E então me lembrava que você não estava mais lá e todas as vezes, cada uma delas, era como se me faltasse o ar. Eu tinha me arriscado por você. Andado metade da extensão de Ravka por você, e faria tudo de novo e de novo só para estar com você, só para passar fome com você, e congelar com você, e ouvir você reclamando sobre o queijo duro todo dia. Então não me diga que o seu lugar não é ao meu lado."


E assim como em A Rainha Vermelha, esse livro tem personagens que nos ludibriam, que parecem ser algo e  não são e você fica cada vez mais confuso. Mas as descobertas por trás dessas confusões são deliciosamente prazerosas e nos  deixam, pelo menos me deixou, satisfeitos.



"O que é infinito? O universo e a ambição do homem."


Fiquei me perguntando o porque do título, logo que comecei a ler, e essa pergunta também foi respondida. 


"O problema de querer algo é que isso nos deixa fracos."





E é isso, beijos!

You Might Also Like

5 comentários

  1. Ola.
    Meu nome é Robson tenho um blog de variedades a muito tempo ou seja uma revista eletrônica.Tendo alguns editores em alguns estados do Brasil,links e banners.Tenho 80681 visualização por pagina e 240 postagens.Se gostar de algo lá pode ficar a vontade em me perguntar.
    www.rm2comunicacao.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. a algum tempo eu venho morrendo de vontade de ler esse livro, o unico problema é que não sobra nehum tempo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, que pena...Eu também ando sem tempo..Se tivesse um pouco mais, já teria lido e assistido tanta coisa boa.... Quando tiver um tempinho, leia, esse livro é bem legal! :D

      Beijos.

      Excluir
  3. Miiiiiiiiiiiidian, tô lendo sua resenha e no site da Amazon pensando se compro ou não a trilogiaaaaaa! HELP!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha, compre! Eu adoraria ter os meus físicos!!! Comprarei ano que vem!

      Beijos!

      Excluir