Resenha: Convergente

19:23:00







Título: Convergente 
Autora: Veronica Roth
Editora: Rocco 
Páginas: 519







Sinopse: A sociedade baseada em facções, na qual Tris Prior acreditara um dia, desmoronou - destruída pela violência e por disputas de poder, marcada pela perda e pela traição. Portanto, diante da chance de explorar o mundo além dos limites que ela conhecia, Tris não hesita. Talvez, assim, ela e Tobias possam ter uma vida simples e nova juntos, livres de mentiras complicadas, lealdades suspeitas e memórias dolorosas.
No entanto, a nova realidade de Tris torna-se ainda mais alarmante do que aquela deixada para trás. Antigas descobertas rapidamente perdem o sentido. Novas verdades explosivas transformam os corações daqueles que ama. Então, mais uma vez, Tris é obrigada a compreender as complexidades da natureza humana - e  a si mesma-, enquanto convergem sobre ela escolhas impossíveis que exigem coragem, fidelidade,  sacrifício e amor.
Narrado sob uma emocionante perspectiva dupla, Convergente conclui de maneira poderosa a série que alcançou o primeiro lugar na lista de bestsellers do New York Times, na  qual Veronica Roth revela os segredos do mundo distópico que cativou milhões de leitores com Divergente e Insurgente.



O que eu penso sobre:  Primeiro do que tudo preciso dizer que, apesar de esse livro ter partido meu coração, a trilogia a qual far parte ainda é uma de minhas preferidas.

Convergente é o último livro de uma trilogia ( hoje série já que tem livro "extra" Quatro ) distópica que envolve tanto revoluções tecnológicas quanto discussões sociais, emocionais e humanas.
O livro dá continuidade ao desfecho de Insurgente, um acontecimento que deixou tanto os personagens quanto os leitores, surpresos: Há vida fora da Cerca.
Após essa descoberta a protagonista, Tris, se vê em situações difíceis e perigosas, em escolhas sem volta e descobertas inesperadas e surpreendentes.



" Se forem persistentes, até pequenas gotas d'água, com o tempo, podem mudar uma pedra para sempre. E a pedra nunca voltará ao que era."


Demorei para ler esse livro mais do que queria, por que sabia de detalhes importantes  e dolorosos e e sinceramente não estava preparada para eles. Eu sou do tipo de leitor que se apega aos personagens, e demora um tempo para aceitar sua perda.  

A autora foi corajosa em muitos momentos durante toda a narrativa. Algumas de suas escolhas me pareceram bem feitas, em minha opinião, outras me deixaram insuportavelmente depressiva.
Porém, apesar dos pesares, o livro é intenso e revelador. Algumas perguntas que haviam sido feitas e esquecidas nos livros anteriores, foram respondidas e outras questões foram levantadas.

Muitos pontos foram bem reflexivos e e humanizados,o que deixou a ficção um pouco de lado e trouxe a história para a realidade e o que realmente poderia, e até acontece, na vida real, como guerra, discriminação, abuso de poder e preconceito.

"Adapte-se. Adapte-se mais rápido, adapte-se melhor, adapte-se a coisas às quais ninguém deveria ter que se adaptar."


Gostei de Convergente ter dado espaço à visão de Tobias, apesar de que, de certa forma, isso diz muito sobre o que acontecerá no final. Mas foi interessante ver as coisas em sua perspectiva, pois ele é um personagem forte, de personalidade expressiva. 


"Não preciso mais reviver os meus medos. Tudo o que preciso fazer agora é  tentar superá-los."


O final foi bastante doloroso e um tanto filosófico. Achei legal o modo como a autora encerrou a trilogia, de um jeito nada "e foram felizes para sempre...",  pois caso contrário, seria um insulto à memória de muitos personagens que deixaram e deixarão saudades.


Leia também: Divergente e Insurgente.




E é isso, beijos!

You Might Also Like

8 comentários

  1. Hey Midi!
    Sabe, apesar de eu ter sofrido muito com o final de Convergente, achei um final necessário, e até mesmo um bom final. Chorei bastante, mas sobrevivi, você também vai, haha.
    Ter o ponto de vista do Tobias nesse livro foi tudo, apesar de já termos o Quatro rolando por aí (eu já tenho o meu, rs). O pior foi que ainda tinha outras coisas terríveis acontecendo em Convergente...
    Beijo,

    http://lucyintheskywithbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rê...
      Sim, de algum jeito, mesmo meu subconsciente me dizendo que não, eu sei que foi um fim necessário, corajoso e até bom....
      Sim, ainda estou de ressaca, talvez eu supere.... Hahahaa!
      Pois é, também tenho o meu, acho que vou deixar para ler só ano que vem....
      Sim, tanta coisa!

      Beijos.

      Excluir
  2. Li Convergente , mas não tenho uma opinião formada da estória, pois li com peça de descobrir o final. Graças à Deus não recebi nenhum spoiler antes de lê-lo: )

    http://somaisumapaginamae.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Maria Luiza.... Ah, esse livro é tão intenso... Eu demorei uns dois dias para conseguir colocar meus pensamentos em ordem e fazer a resenha.
      Ah, que sorte, eu recebi ano passado,por isso só li agora!

      Beijos!

      Excluir
  3. Mídian, te marquei em uma tag lá no meu blog: http://virandomundos.blogspot.com.br/2015/11/book-tag-complete-frase.html
    Espero que goste, bjo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Keyla, eu já respondi essa tag, mas obrigada por me marcar!

      Um beijo!

      Excluir
  4. Também fiquei de coração partido e chorei litros quando estava lendo esse livro, Lembro que tive que parar várias vezes quando estava lá no final porque as lágrimas não me deixavam enxergar direito :/ Acho que o que acontece mostra mais a realidade e, como você disse, não nos traz o felizes para sempre, mas nos mostra que é possível seguir em frente.
    Beijos

    http://sobrecontarhistorias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É quase impossível ler esse livro e não ficar pesarosa e chorosa, não é mesmo?
      Sim, realmente....

      Beijos!

      Excluir