Resenha: Trilogia Estilhaça-me - Livro II - Liberta-me

13:19:00






Título:  Liberta-me 
Autora: Tahereh Mafi 
Editora: Novo Conceito 
Páginas: 448 




Sinopse: Liberta-me é o segundo livro da trilogia de Tahereh Mafi. Se no primeiro, Estilhaça-me, importava garantir a sobrevivência e fugir das atrocidades do Restabelecimento, em Liberta-me é possível sentir toda a sensibilidade e tristeza que emanam do coração da heroína, Juliette. Abandonada à própria sorte, impossibilitada de tocar qualquer ser humano, Juliette vai procurar entender os movimentos de seu coração, a maneira como seus sentimentos se confundem e até onde ela pode realmente ir para ter o controle de sua própria vida. Uma metáfora para a vida de jovens de todas as idades que também enfrentam uma espécie de distopia moderna, em que dúvidas e medos caminham lado a lado com a esperança, o desejo e o amor. A bela escrita de Tahereh Mafi está de volta ainda mais vigorosa e extasiante.





O que eu penso sobre: Gente, sabe o que é você rir, sofrer e desejar desesperadamente ser o Flash só pra saber o vai acontecer adiante?! Essa era eu lendo Liberta-me.

Como eu falei na resenha de Estilhaça-me, terminamos o livro com uma Juliette mais confiante em si mesma. Porém, como tudo na vida, tem coisas que nos desanimam, e o fato de está em um esconderijo subterrâneo  a deixa bastante desanimada no inicio do livro. mas com o apoio moral de Kenji - um personagem que aparece no final de Estilhaça-me -  ela começa a entrar nos eixos e a evoluir mais como pessoa( super poderosa!).


"Todos os dias encarro essas quatro paredes e lembro a mim mesma que não sou prisioneira, não sou prisioneira, não sou prisioneira, mas às vezes os antigos medos percorrem minha pele e não consigo me libertar da claustrofobia que aperta minha garganta."


 Agora Juliette ficou uma montanha russa de sentimentos e sensações e a garota é puro poder, principalmente quando é tomada pela raiva, e eu  ficava tipo: Juliette eu te amooo! Acaba com tudo!!! Siiim Juliette, mata esse "cachorro"! Naaaaão Juliette...


"A terra abre fissuras sob meus dedos e as reverberações movem-se pelo meu corpo, ricocheteando em meus ossos até minha cabeça estar girando e meu coração ser um pêndulo que bate contra minhas costelas."


E finalmente eu entendi  o porquê Tahereh me fez amar Warner! Ela estava guardando Anderson, o cara que você odeia em primeira mão e tem vontade de matar, estrangular, espancar, desmembrar... Não necessariamente nessa ordem (Hahaaha,  me deu medo de mim mesma agora!).

E tem também a guerra eminente que dá aquele arzinho de expectativa e apreensão e isso torna o livro muito prazeroso.
 E o final... Meu Deus! Para. Com. Isso. É tudo de bom! Só pra vocês terem uma ideia é uma mistura louca de aflição com esperança, raiva, fofura e romantismo... E é o estopim de Juliette, aquele momento em que a borboleta sai do casulo, é a fênix ressurgindo das cinzas li-te-ral-men-te.


"Estou pronta para fazer algo que, com certeza , vou me arrepender e, dessa vez não me importo. Chega de ser boazinha."





Leia também: Estilhaça-me


Ah pessoal, uma dica para quem ainda não leu Liberta-me, é interessante ler Destrua-me (que é o conto narrado por Warner \o/) antes. Porque se você - como eu - pensou que tinha se apaixonado por ele no primeiro livro está totalmente enganada querida! É em Destrua-me que o estrago acontece e não tem mais volta. É amor pra vida inteira!


É isso galera, beijos para vocês! Até a próxima!




 

You Might Also Like

2 comentários

  1. Fiquei com vontade de ler essa trilogia, e ainda mais vontade ainda de ler esse conto Destrua-me <3

    Beijos,
    Natália

    Do Prefácio ao Epílogo

    Participe do sorteio do blog!

    ResponderExcluir
  2. Pode ter certeza que você não vai se arrepender!
    bjs!

    ResponderExcluir